Músicas homenageiam atributos marcantes de Maceió

Já virou habitual para a capital alagoana receber elogios de quem a visita, além da admiração incondicional dos que nela residem. Sentimento expresso tanto verbalmente quanto artisticamente por todos. Um amor presente, por exemplo, na música local que se configura como uma dessas manifestações artísticas que sempre encontra em Maceió a inspiração necessária para dar vida a belas estrofes.

Na música “Cidade Sorriso”, escrita pelo radialista Edécio Lopes, a beleza dos mirantes maceioenses foi a protagonista de um de seus trechos. Os espaços receberam essa homenagem pela importância que representam para o turismo local, proporcionando, aos que os visitam, a contemplação das inúmeras belezas naturais de Maceió a partir de uma nova perspectiva, além de oferecerem, em alguns casos, feiras de artesanato que exibem em suas bancas parte da cultura local.

Vista do mirante Rui Palmeira, no Chã de Bebedouro. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Qualidades e características da capital também são enaltecidas na música de Elieser Seton “Maceió, minha sereia”. Entre elas está a pesca, que além de ser uma das atividades mais tradicionais da cidade, é parte importante da identidade local. Marinha ou estuarina, a atividade pesqueira acontece em bairros tradicionais de Maceió como Bebedouro, Pajuçara, Jaraguá e Pontal da Barra, constituindo a principal fonte de emprego e renda para muitos maceioenses.

Centro Pesqueiro de Maceió. Foto: Pei Fon. Secom/Maceió

“Mas molho meu corpo lá em Mundaú” é o que diz um dos trechos de “Alô Maceió”, música que está entre as mais recentes da banda Fulô de Mandacaru. A lagoa recebe essa homenagem por ser um dos mais bonitos cartões postais da capital que oferece uma abundante vida marinha- parte importante da culinária local. Seu encontro com o mar juntamente com a vista que oferece do pôr-do-sol ao fim da tarde são apontados pelos que a visitam como grandes espetáculos da natureza.

Lagoa Mundaú. Foto: Luiz Rios. Ascom/Semtel

A lista é extensa. Maceió já rendeu muitas outras canções ao longo de sua história. Ponta de Lápis, de Elieser Seton; Maceió, de Luiz Gonzaga e Seja bem-vindo a Maceió, de Reinaldo Lessa representam bem esse rol de composições que quiseram descortinar para o mundo o que de melhor existe nas terras maceioenses.

 

Polyanna Monteiro

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.