Rua das rendeiras: riqueza artesanal no Pontal de Maceió

 

Casas simples, conversa nas calçadas, crianças brincando nas ruas e aquela brisa gostosa no rosto. Esse é o clima encontrado por todos aqueles que visitam o bairro Pontal da Barra em Maceió. O local, que tem grande apelo turístico por ser margeado pela Lagoa Mundaú e possuir grande diversidade cultural e natural, traz entre seus mais famosos atrativos a tradicional “Rua das Rendeiras”.

Trata-se de um núcleo destinado ao artesanato local que enfeita há mais de dois séculos as fachadas das residências pontalenses com suas cores, beleza e variedade. Famílias que encontraram na arte um grande amor, além de uma excelente fonte de renda extra.

A variedade nos produtos é um diferencial na Rua das Rendeiras. Foto:Marco Antônio/Secom Maceió

Peças como blusas, toalhas, panos de prato e redes, além de artigos em madeira e cachaças artesanais são exemplos dos itens feitos à mão que podem ser encontrados  nas lojas, em sua maioria, improvisadas dentro de casa, mas que possuem um luxo desejado por tantos: quintais com vista lagunar.

Proprietária de um desses estabelecimentos, Dona Lucy Petrúcio, de 80 anos, é rendeira desde os cinco anos de idade, quando sua mãe apresentou a técnica mais famosa entre as rendeiras do Pontal: o filé. Desde então, a artesã seguiu aprimorando sua arte e repassou para seus cinco filhos, quatro homens e uma mulher que hoje também desenvolvem seus trabalhos artesanais. Ela brinca ao dizer que quem quer comer tem que trabalhar e revela com sorriso no rosto o seu amor pelo ofício e pelo bairro.

“E as rendeiras com seu filé falado, brilham como estrelas nesse mundo encantado”, fala de Dona Lucy encontrada em seu livro livro “Eu e o Pontal da Barra, suas lendas, sagas e lutas”. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

“O pontal é um lugar que me faz sentir no paraíso. Nele encontrei contato com a natureza, além de um povo acolhedor e unido. Para completar, foi aqui que conheci meu esposo, formei família e ainda pratico o dom que Deus me deu. Um trabalho que é como uma terapia, pois enquanto eu crio minhas peças, vou procurando em minha mente a solução para todos os meus problemas”, conta a rendeira que também é autora do livro “Eu e o Pontal da Barra, suas lendas, sagas e lutas”, publicado em 2017.

A paixão de Dona Lucy pelo filé se estende a todas as famílias pontalenses. A artesã Jaqueline dos Santos descreve orgulhosa o passo a passo do trabalho. “Primeiro a gente estica a rede no tear e segue até o fim do trabalho contando e preenchendo os buracos da rede de acordo com o desenho que cada um quer fazer. No final, esticamos toda a peça em um tear maior e molhamos para não encolher. Depois de enxuto, cortamos e costuramos – à mão – toda a peça”, ensina.

“Aprendi o filé com minha mãe, mas hoje faço até mais peças do que ela”, conta a rendeira Jaqueline dos Santos. Foto:Marco Antônio/Secom Maceió

A comunidade desenvolve também outros pontos de bordados como labirinto, rendedê, ponto-cruz e renda de bilro, além de oferecer a seus visitantes a oportunidade de degustar a culinária local, com base em frutos do mar, encontrada nos tradicionais restaurantes do bairro que também têm como diferencial a vista espetacular da lagoa, cenário onde acontece o mais belo pôr-do-sol da região.

Polyanna Monteiro

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.